Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Pedro Nogueira Photography

Um blog para mostrar as minhas fotos e para escrever sobre tudo o que me vier à cabeça …assim haja tempo.

Gráficos da treta

09
Nov20

Os energúmenos que aldrabam estas tretas são tão ignorantes que nem sabem que um gráfico destes tem de somar 100%. Se existem 5% de causas desconhecidas, têm de constar no gráfico e não em rodapé mas a aldrabice e a martelada é de tal ordem que duas fatias com 3% têm dimensões diferentes. Gráficos certamente 'martelados' num qualquer editor de desenho ao nível do Paint, já que aptidão para o básico do Photoshop ou Illustrator deve ser algo dantesco para esta gente. No Power Point ou similar, não foi certamente porque daria erro e nem sequer emitia o gráfico. Também gosto do “link epidemiológico”, já que “ligação epidemiológica” é muito rasca para tão doutas cabeças.

Este Costa parece o Stalin a ‘dar música’ aos camponeses.
Chiça, peçam lá para defecar e saiam.
…de vez e de preferência pelo esgoto.

O que vale é que nem todos andam a dormir nem se deixam levar por conversa para boi dormir como prova esta notícia.

Gráfico_650px.jpg

Panem et circenses

18
Jun20

A China (1.402.509.320 habitantes) diagnosticou 44 novos casos de Covid-19 nas últimas 24 horas, sendo que 31 deles são em Pequim (21.500.000 habitantes). 137 novos casos nos últimos 6 dias.

Com estes dados, Pequim recomeça a preparar novo confinamento.

No Portugal de Costa, onde só na Capital do Império, surgem cerca de 300 novos caso por dia e onde os miúdos não vão à escola há 3 meses, milhares de pessoas perderam os seus empregos e viram falir as suas empresas, faz-se uma cerimónia em Belém para receber a final da Champions, numa altura em que os jogos da Liga Vieira se realizam à porta fechada.

Está visto que a seguir vão confinar os portugueses em casa para que os turistas/adeptos possam passear o seu belo derrière à vontade pelas ruas da capital, sem terem medo de ser contaminados por algum reles tuga.

Gostava de saber o que pensam os portugueses e em especial médicos e enfermeiros, sobre a possibilidade que está a ser equacionada da vinda de hordas de bêbados e muito provavelmente doentes que para além de causar os habituais distúrbios, ainda irão ocupar camas de hospitais que já são escassas para os que cá vivem.

Mais uma vez de mão estendida para a Europa, o pedinte Costa, a troco de trinta moedas de prata, manda os portugueses dar uma volta ao bilhar grande.

Tristemente, o típico labrego e analfabeto funcional, tuga até é capaz de defender este tipo de iniciativa, já que o que quer é Venfique e Big Breda.

Os portugueses estão à espera de quê para acordarem e porem toda esta camarilha com alcatrão e penas, não fora da cidade como se fazia no velho Oeste, mas fora do país?

Panem et circenses.jpg

Os votantes de Costa

Belém 650px.jpg

Para anunciar pontapé na bola.
É apenas constrangedor, deprimente, vergonhoso, indecoroso, humilhante...

Covid-19 - Manual de Instruções (segundo a Dona Graça)

28
Abr20

01 Não podes sair de casa, mas se for preciso, podes.

02 As máscaras não servem para nada, mas até servem. Se puderes usa-as, mas se calhar não é preciso porque só servem se estiveres contagiado. Mas podes estar contagiado e não o saber. É melhor usar.

Não tens?

Então não uses.

03 As lojas estão fechadas, excepto as que estão abertas.

04 Não se deve ir aos hospitais a não ser que precises de ir. Só se deve ir em caso de urgência.

Quando é que é urgência?

Quando pensas que vais morrer, caso contrário, fica em casa.

05 As luvas não ajudam mas podem ajudar.

06 Não vai faltar comida nos supermercados, mas se fores ao fim do dia já faltará muita coisa. Mas não deves ir de manhã. Vai ao fim do dia e se faltar alguma coisa voltas no dia seguinte. Mas não, o melhor é não sair de casa.

07 Depois de ir ao supermercado, deixa os sapatos à porta e lava a roupa a 60ºC. Se a lavares a uma temperatura inferior, o vírus não morre. A roupa, meia hora dentro de uma máquina com detergente e a 40ºC, é irrelevante, o vírus não morre. Mas se tiveres o vírus nas mãos, basta lavá-las durante dois minutos e o vírus fica morto.

08 Os animais não ficam contagiados mas, em Fevereiro, um gato deu positivo na Bélgica. Quando ainda não se faziam testes a ninguém, resolveram fazer a este gato, pronto, porque ele era muito querido. Os animais não têm o vírus, estão saudáveis; embora o vírus tenha sido transmitido por um morcego, ou um pangolim, isso agora já não interessa nada. Foi de certeza um unicórnio.

09 Se estiveres doente terás muitos sintomas. Febre muito alta, perda do olfacto e do paladar, falta de ar e dispneia. Mas também podes ficar doente e não ter nenhum sintoma, ou podes ter os sintomas e não estar doente, pode ser alergia da primavera.

10 Para não ficar doente tens que comer bem e fazer ginástica. É melhor comeres o que tiveres à mão porque não deves sair de casa. E em casa podes fazer ginástica, há muitos vídeos no Youtube. Toda a gente faz ginástica em casa. Yoga, yoga, faz muito yoga.

11 Evitar o contacto com as pessoas mais velhas, mas tens que os contactar para lhes levar medicamentos e alimentos.

12 Não podes ver a tua mãe nem a tua avó, mas podes apanhar um táxi e conhecer um taxista já de idade, ou então ir dar dois dedos de conversa à farmacêutica, uma velhinha tão simpática.

13 Não há nenhum tratamento, mas talvez haja um que aparentemente não é perigoso e funciona, mas realmente não funciona, ou talvez sim, só deu bons resultados em alguns doentes, noutros não. Então, temos tratamento mas não temos.

14 Devemos ficar confinados até que o vírus desapareça, mas só desaparecerá se chegarmos a uma imunidade colectiva e por isso, tem que circular, e para que circule, temos que deixar de estar confinados.

15 Não se preocupem que temos tudo controlado e temos a certeza de tudo, e o Marcelo está bem de saúde.

#EstudoEmCasa ah ah ah ah ah ah!

13
Abr20

Putos! Para vocês, e são muitos, arrisco mesmo a dizer que são a maioria, que quando tem de ir à escola, não estudam, são indisciplinados, insultam os professores, fornicam a cabeça aos vossos pais que, sendo uns labregos, também nunca vos souberam educar e manter na linha, porque vos fizeram mas não têm paciência para vos aturar, tenho isto para vos dizer.

Salvo raríssimas excepções, os professores estão praticamente proibidos de vos 'chumbar', perdão, diz-se 'reter', não é?

'Chumbar' é muito traumatizante para as vossas delicadas cabecinhas. Passou a 'retenção', não foi?

Tadinhos de vocês, retidos no mesmo ano, como os prisioneiros, apenas por terem sido burros. Vá, todos a cantar isto.

Sim, porque hoje em dia, só um asno de primeira categoria, 'chumba'. Bolas, enganei-me novamente, fica 'retido', queria eu escrever.

É como ‘gordo’. Agora até o leite deixou de ser ‘gordo’ para ser ‘inteiro’, por isso já sabem. Doravante, na vossa escola, é o inteiro que vai à baliza.

Chegam à faculdade sem ter lido um livro e sem saber a tabuada e de lá saem com pouco mais do que isso.

Como tal, se em condições normais, já ninguém vos pode 'chumbar', bolas, 'reter', caraças, julgam mesmo que num quadro como o da actual pandemia, o Ministério da Educação, teria 'tomates' para 'reter' alguém?

Desta vez não me enganei. Disse 'reter'. Que bonito.

E se não tiverem internet, computador ou a TV estiver avariada?

Pensam mesmo que alguém os vai lixar, apenas porque não têm acesso a estas coisas.

Passa tudo, canudo. Passa ou transita?

É preciso cuidado com estes fancy names, porque o que conta é o embrulho. O conteúdo, esse, continua a ser uma bela bosta.

...e tenham também cuidado com isto.

Posto isto, putos, não sejam otários. Desta vez, estou do vosso lado.

Agarrem-se mas é à Playstation porque nem Verão, vão ter. Ups, mas se a TV está avariada, não dá.

Cada vez que olho para aquela grelha da ‘telescola’ e para a hashtag #EstudoEmCasa, só consigo lembrar-me disto.

* Portem-se mal como de costume e não levem a conversa da Playstation muito a sério. Podem também usar a Nintendo.

Covid-19 com números manipulados?

09
Abr20

Para a DGS, o número confirmado de infectados em Ovar é de 273, mas conforme divulgado por Salvador Malheiro, Presidente da CM de Ovar, de acordo com dados fornecidos pelo ACES (Agrupamento de Centros de Saúde), são já 497 infectados confirmados e 18 óbitos. Agora é extrapolarem isso para o país inteiro e talvez por isso se perceba porque é que o governo não faculta os dados à comunidade científica que se disponibilizou para os analisar e dessa forma, poder ajudar.

Na dúvida, fiquem em casa e se tiverem de ir à rua, guardem uma valente distância dos outros.

O resto, são balelas e propaganda mal amanhada do norte coreano de S.Bento.

Covid Ovar.jpg

Estado de Emergência à moda do Solnado

04
Abr20

Há uma semana, diziam alguns, que era preciso fechar o país, um lockdown total - concordo plenamente - agora, esses mesmos, já se indignam com Operações STOP porque ‘são ilegais’, já que não estão a ser feitas nos dias que o sabichão do Costa, sempre com o voto como prioridade, ‘pensou’ que as pessoas pudessem ir viajar e porque há gente que anda a trabalhar e leva por tabela.

Então e se a polícia andar a fiscalizar os néscios que andam por aí a laurear a pevide, para saber se têm seguro e IUC em dia e depois, por cortesia, perguntarem se vão em lazer ou trabalho, também é ilegal?

Como se o tuga chico esperto não antecipasse a ida e não protelasse o regresso.

A medida mais óbvia, deveria mesmo ser a de proibir de imediato e desde a renovação do Estado de Emergência, todas as deslocações, para lá do supermercado mais próximo da área de residência.

O problema é que vivemos num Estado de Emergência tão patético como a guerra do Solnado. Só não se pode espalhar o vírus entre dia 9 e 13 de Abril.

Querem ver que agora, são uns malandros, estes polícias e GNR que diariamente arriscam a vida para tentar dissuadir irresponsáveis que teimam em pôr a vida deles (e eu ralado) e a dos outros em risco?

Por outro lado, abordam os cidadãos sem equipamento de protecção individual e sem respeitar uma distância mínima de segurança, o que nos leva para lá da guerra do Solnado e saltamos de imediato para a área da tragicomédia.

Se daí, não adviessem riscos para terceiros, por mim até podiam abrir esplanadas, piscinas e hotéis só para essa gente e que se matassem todos uns aos outros até o vírus se cansar.

Quando chegarmos aos números de França ou Espanha e infelizmente já não deve faltar muito, a única coisa que espero, é ser um dos que cá fica e não pagar por tabela. Matem-se para aí, mas não prejudiquem quem cumpre as recomendações e se quer defender.

Que a PSP e a GNR não baixem a guarda e que a sua coragem seja a dobrar, relativamente à cobardia política que teima em manter um estado de emergência de brandos costumes e de palmadinha nas costas, já a pensar nas próximas eleições.

Na dúvida, fico em casa. Aos energúmenos que não ficam, apenas porque não querem…

...saudinha é o que desejo e quando lá chegarem, mandem saudades, que é coisa que cá não deixam.

Foi Costa ou Hoekstra que esteve bem?

27
Mar20

A União Europeia, entre muitos outros exemplos, é como as companhias de seguros, empresas de alarmes e alguns "amigos", Só aparecem nas boas alturas e quando não fazem falta. Quem ainda não tinha percebido isso, é porque só aterrou a nave ontem. Nunca houve nem nunca haverá coesão em momentos críticos.  Nem na União Europeia, nem em lado nenhum.

Está toda a gente a bater palminhas ao Costa, por este ter considerado “repugnante”, a declaração do ministro das Finanças holandês, Wopke Hoekstra, ao pedir que “Espanha seja investigada por não ter capacidade orçamental para fazer face à pandemia”.

Já em 2017, Jeroen Dijsselbloem, outro ministro das Finanças, também holandês, afirmou que “não se pode gastar todo o dinheiro em copos e mulheres e depois pedir ajuda”.

Vamos por partes.

A situação que se vive a um nível verdadeiramente global, é terrível e única para muitas gerações. Nestas alturas, exige-se, para o bem comum, solidariedade e que todos remem para o mesmo lado. Ninguém está a salvo e ainda não há antídoto para este inimigo invisível. Sobre isto, não há necessidade de grandes explicações porque, melhor ou pior, de forma mais séria ou mais leviana, já todos perceberam a situação que o mundo está a atravessar. No entanto, o mundo não é a preto e branco. Tem muitos tons de cinzento. A solidariedade é como o fair play, na boca de Jorge Jesus. É uma treta. La Fontaine explica isso da solidariedade, bem explicado, na fábula da Cigarra e da Formiga.

Todos os dias, morrem pelo mundo, mais de oito mil crianças com fome. Fome, essa que atinge mais de 820 milhões de pessoas em todo o planeta e já há antídoto para isso. Chama-se "comida", mas no entanto ninguém quer saber porque é "lá longe", mas agora, aqui del rei, que está aí um vírus à nossa porta e até é capaz de matar.

Posto isto, pergunto eu.

Hoekstra, ontem e Dijsselbloem em 2017, disseram alguma mentira?

Não me parece.

Não terá Costa, medo que também Portugal possa ser investigado?

Costa é como aquele marmanjo que na escola anda sempre a reboque dos apontamentos dos outros e quando lhe batem com a porta, vira chibo.

Então, mas não havia excedente orçamental, segundo o Centeno?

Será que a Holanda disse que não ajudava, ou disse que ajudava, emprestando e não oferecendo?

O que nos diz a história, relativamente a Portugal e a dinheiros europeus?

Vinha dinheiro para tractores, compravam-se jeeps e motos. Vinha dinheiro para ajudar empresas, abria-se uma papelaria para a Maria, para disfarçar e de seguida, construía-se uma moradia e comprava-se uma moto de água.

Vinha dinheiro destinado a estufas para agricultura, compravam-se uns plásticos que ficavam a apodrecer a um canto e ia-se buscar um Porsche.

As auto-estradas e outras obras públicas, sempre com orçamentos a derrapar e sempre com o conluio de quem estava no poder, ou não fossem os principais interessados, já que tinham interesses nas empresas a quem adjudicavam as obras - tudo de forma séria, é claro -
Tudo feito com materiais de segunda categoria e muitas vezes substituídos por outros ainda mais inapropriados. Os Ferraris, as quintas, as moradias, os cavalos, as férias de luxo em destinos exóticos. Isso sim, sempre esteve em alta, pago por todos nós, cidadãos da União Europeia.

Ficava aqui o dia todo a dar exemplos. Deixei apenas alguns, avulso, à medida que me foram ocorrendo.

Não teria necessidade de o afirmar, mas devo dizer que não sou de esquerda, nem lá perto. Pelo contrário. Acontece é que não gosto de compadrios, de maçons, de corruptos e parasitas com cartão de partido, ladrões de casaca, fura-vidas boçais que num país civilizado, estariam todos na cadeia.

O que temos agora?

Mais uns exemplos avulso.

Parque escolar envelhecido onde os putos passam frio nas aulas, onde em algumas, chove lá dentro, internet e computadores do tempo da guerra, telhados com amianto e professores envelhecidos, outros nem tanto mas quase todos em burnout, graças a uma geração à qual ninguém sabe, nem educar, nem instruir. Gente impreparada, como convém à camarilha que nos governa. Basta olhar para as últimas sondagens para perceber que o português é posto de calças na mão, rabo para o ar, gosta e ainda agradece.

Centros de saúde fechados ou sem médicos.

Hospitais… bom, vou ter de explicar?

Não me parece que seja necessário. Três meses a ver, não a banda, mas o vírus a passar. Em negação e de braços cruzados.

Onde e quando se investiu, com seriedade, contenção de custos, sem meter ao bolso e a pensar no povo?

Em todo o espectro político. Tudo gasto em putas e vinho verde, distribuído pelos amigos do costume.

O que Hoekstra quis dizer, foi precisamente, que não está para pagar essas putas e vinho verde.

Corruption.jpg

Jornalixo em tempo de crise

26
Mar20

Quando o nosso jornalismo, em situação normal, já não passa de um esgoto a céu aberto, em tempo de crise, o esperado só poderia mesmo ser, ratos de sarjeta à solta.

Jornaleiros, tarefeiros, licenciados pós Bolonha, apenas à custa de copiarem meia dúzia de PDFs, alucinados, mentirosos, sob o efeito de substâncias psicotrópicas ou de álcool, irresponsáveis ou apenas incompetentes?

Não faço ideia, mas há algo de podre no reino Dinamarca.

Mas que números de merda, são os desta notícia?

Ora se a 26-03-2020, Itália tem 74.386 infectados e 7.503 mortos (10,8%), Espanha 56.188 infectados e 4.089 mortos (7,27%) e França 25.604 infectados e 1.331 mortos (5,19%), para citar apenas 3 exemplos.

Portugal a ter 129.000 infectados, o que seria quase o dobro da Itália, tendo nós 1/6 da população daquele país, nunca se ficaria pelas 700 mortes (0,5%), até porque neste momento, a percentagem de mortes em Portugal, relativamente aos casos confirmados, já está em 1,69%.

Teríamos de ser o povo com maior resistência ao vírus e em simultâneo, com o melhor sistema de saúde do mundo.

Com 129.000 infectados, com uma taxa de mortalidade semelhante à da França, a mais baixa, dos três exemplos que dei, nunca ficaríamos abaixo dos 6500 mortos, mas podem ter a certeza que num país deste tamanho, com uma população envelhecida e maioritariamente concentrada no litoral, com 129.000 infectados, arranjem já uns 16.000 caixões.

Jornaleiros de merda, tarefeiros do copy/paste que só debitam esterco.

Jornalixo.jpg

Fecho das escolas

25
Mar20

“Fecho de escolas depois da Páscoa agrava incertezas sobre avaliação”, escreve o jornal ‘Público’.

Se em condições normais, nada aprendem e ninguém 'chumba', qual é mesmo a diferença de meia dúzia de semanas sem aulas, em prol da saúde pública?

Só se for uma ligeira melhoria na sanidade mental dos professores. Assim de repente, não me ocorre mais nada. Espera, estou a lembrar-me de outra. O facto de os pais, neste período de quarentena, terem finalmente de aturar os filhos e perceberem que a educação e disciplina que nunca lhes foi ensinada e imposta, agora, até eram capazes de dar um jeitão.

Por outro lado, também estou solidário com os putos mais atinhadinhos e que têm de gramar com as discussões dos pais, durante um dia inteiro.

Pode ser que, também neste campo, algo possa mudar para melhor.

A reactividade em detrimento da proactividade vai custar vidas

13
Mar20

Tudo a conta-gotas para não lançar o pânico e defenderem o tacho, a verdade vai ficando por dizer aos portugueses mais incautos.

Estão à espera do pior para ordenar um lockdown total?

De que serve, por exemplo, não deixar sair os passageiros dos navios de cruzeiro quando mantêm as fronteiras e os aeroportos abertos ao livre-trânsito de pessoas?

Embora tardiamente, fecham as escolas, e muito bem, mas não impõem quarentena aos fedelhos. Sacodem a água do capote e deixam a decisão para os pais, que regra geral, não têm mão neles.

Andam a tratar a situação de forma leviana mas na hora certa, a cabeça dos responsáveis há-de ser a primeira a ser posta no cepo. Pode ser que o positivo desta pandemia venha a ser o exigir de uma limpeza ética e um aumentar de competências em cargos públicos. Uma mudança de paradigma e até uma nova ordem à escala mundial, onde as populações percebam que não precisam desta gente para nada. Não são a solução para nada, são apenas o grande entrave e problema.

Com civismo e urbanidade, hão-de ser e só podem ser as pessoas a resolver isto, sozinhas.

Continuo a não conseguir entender como se coloca nos pratos da mesma balança, a possibilidade de perda de vidas humanas, permitindo que um vírus possa continuar a dizimar populações inteiras em contra ponto com a tentativa de evitar uma mais que certa crise económica e perda de postos de trabalho, por forma a travar o flagelo, mas posso estar a ver mal a coisa. Assim, como assim, se uma larga fatia da população mundial for desta para melhor, trabalho não faltará. Pode ser que o objectivo seja mesmo esse. No ponto de vista de alguns políticos, talvez seja mais fácil deixar morrer. Por cá, entre muitas outras coisas, o Costa tinha o problema da falência de Segurança Social, resolvido.

Percebam que o Estado de Alerta declarado pelo governo até 9 de Abril, embora possa ajudar em algo, mal consegue contemplar um período de quarentena, quanto mais, ser eficaz na contenção seja do que for.

À data deste post, nas últimas 24 horas, só em Itália, morreram mais 250 pessoas.

Consultem este link e digam-me se o anedótico ‘espirrar para o cotovelo’ será suficiente.

Sem pânico e sem açambarcamentos contraprodutivos, mantenham-se a salvo.

Ainda estamos longe de atingir um pico de contágio e isto ainda vai piorar antes de melhorar.
De nada vos servirá o dinheiro, se não sobreviverem a isto.

Um por todos, todos por um.
Fiquem em casa que eu também vou ver se me safo desta.