Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Pedro Nogueira Photography

Um blog para mostrar as minhas fotos e para escrever sobre tudo o que me vier à cabeça …assim haja tempo.

Inside Apple’s Magic Factory

23
Fev12

O apresentador Bill Weir, juntamente com uma equipa da ABC, teve acesso exclusivo a uma das linhas de produção da Apple, na China. Mais concretamente a uma fábrica da Foxconn, que é um dos maiores fornecedores de software da Apple a partir daquele país.

Um local onde os funcionários dormem e trabalham seis dias por semana recebendo salários miseráveis e onde já se deram 18 suicídios.

A reportagem refere-se à Apple mas podia ser outra das muitas marcas que praticam a mesma política de escravatura do século XXI com a conivência dos alegres consumidores ocidentais que fingem desconhecer as péssimas condições de trabalho daqueles desgraçados, pelo menos enquanto tiverem poder de compra para se pavonear com os seus gadgets de preço inflacionado, contribuindo assim para os lucros astronómicos dos Steve Jobs e Bill Gates deste mundo.

Seria bom que os meninos que fazem birras para os papás lhes comprarem estes gadgets e que a tarefa mais árdua que têm no dia, é terem de se levantar para ir à escola e que aqueles que passam o dia no Facebook, a partir do seu local de trabalho, a pedir greves, em lugar de estar a trabalhar, vissem esta reportagem e fossem percebendo, ou não, o que custa a vida para muita gente.

Quer sejam chineses a montar iPads, a troco de um dólar e setenta por dia, quer sejam crianças Indonésias a coser Nikes e Timberlands a troco de um dólar por dia para depois nós comprarmos gadgets a oitocentos euros e calçado a cento e cinquenta, tudo se passa debaixo do nosso nariz e com a nossa cobarde conivência e conveniência.

Metam a cabeça na areia o tempo que quiserem, mas a médio prazo, se entretanto nada for feito, o futuro dos vossos filhos na europa será igual. Mesmo para aqueles que, por exemplo, diziam que um americano a conduzir um carro japonês era fruto de um filme de ficção científica.
O mundo dá muitas voltas, meus amigos.

Uma reportagem da ABC, transmitida pela BBC.

4 comentários

  • Imagem de perfil

    Pedro Nogueira 23.02.2012

    Não me engano, não Teresa.
    Estamos completamente de acordo. Sei bem, como no caso da Zara, que as marcas “baratas” também conseguem os seus “preços canhão” à custa de mão-de-obra, ainda, mais escrava.
    Seja qual for a marca ou o artigo, é a total ausência de valores morais que me incomoda.
    Por parte de quem vende e por parte de quem compra.
    Em qualquer dos casos não há desculpa, embora do lado do consumidor, haja sempre a resposta mais fácil.
    “Vou fazer o quê, deixar de comer e andar nu?”
    Enfim, um dia, forçosamente, terá de saltar a “tampa” da “marmita” a muita gente e nessa altura o mundo, mais uma vez, mudará.
  • Sem imagem de perfil

    Teresa 23.02.2012

    Pois. Mas nem é preciso deixar de comer e eu, com convictamente, afirmo que não DEVERÁ andar nu mas podemos sempre juntar as nossas vozes aos que denunciam e condenam e não ficar contente porque se alguma coisa acontecer então aquele artigo ainda vai ficar mais barato Image.

    O nosso Mundo está doido. As pessoas perderam a noção do ridículo. A sério, nunca me senti tão velha nem tão à parte. Achas normal que uma criança de 12 anos seja deixada acampar à porta do Pavilhão Atlântico durante duas noites porque gosta tanto da Rihanna (exemplo aleatório e não me lembrei de ninguém com menos roupa Image) que quer ficar na fila da frente...?????
  • Imagem de perfil

    Pedro Nogueira 24.02.2012

    Eu já não acho que seja normal, permitir-se acampar à porta do Pavilhão Atlântico, ponto final, quanto mais, menores, por duas noites e ainda para mais para ver a Rihanna.

    Image

  • Comentar:

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog tem comentários moderados.

    Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.