Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Pedro Nogueira Photography

Um blog para mostrar as minhas fotos e para escrever sobre tudo o que me vier à cabeça …assim haja tempo.

Mais do mesmo, até quando?

17
Set11

Tenho de começar por referir que era um grande fã de Herman José, nos bons tempos de “O Tal Canal”, “Hermanias”, “Humor de Perdição” ou ainda “Herman Enciclopédia”. Escrevi “era” porque já não o sou assim tanto. Pertenço ao grupo dos que se sentiram traídos quando o "grande criador de toda a música ró" se rendeu aos cifrões, perdendo a vontade de escrever programas humorísticos de inegável qualidade, para as minorias.

Passou a ter quem escrevesse para ele e lá se iniciou na apresentação de talk-shows  de formato duvidoso, com convidados, na sua maioria pirosos, fúteis e por encomenda para invariavelmente se autopromoverem ou tentarem limpar o seu nome por algo que acidentalmente tivesse vindo parar à praça pública.

Voltando um pouco atrás no tempo, ainda eu nem cinco anos de idade tinha, lá apareceu o “Zip-Zip”. Era um programa apresentado por Raul Solnado, Fialho Gouveia e Carlos Cruz e, ou muito me engano, ou não tivessem dois deles já falecido e o terceiro nem comer canja com miúdos pode, quanto mais apresentar programas de televisão, e ainda estaríamos a gramar  com eles pela caixa  que mudou o mundo.

Um pouco mais tarde, ainda eu vestia bibe e já ouvia falar de nomes como Paulo de Carvalho, Fernando Tordo e Carlos Mendes.

Na altura em que escrevo este texto, estamos a menos de uma hora da estreia do novo talk-show do senhor Von Krippahl e passados, mais coisa menos coisa, quarenta anos, desde o meu tempo de infantário, adivinhem que são os convidados. Paulo de Carvalho, Fernando Tordo e Carlos Mendes.

Ora bolas, mas será que para além de Salazar ter morrido, neste país nada muda?

2 comentários

Comentar post